[Passo 6 de 9] Design de Marca


19/01/2016

A marca gráfica (também chamada de logo, logotipo, e até mesmo logomarca) tenta sintetizar graficamente um ou mais aspectos dentre os mais importantes incorporados à sua promessa de marca.

[Quiz]

Como está o Branding da sua Empresa?

Faça o Teste Grátis!

[Ebook]

O que é Branding e porque grandes marcas usam.

Baixe aqui o Ebook Grátis!


O Design de marca é o [passo 6 de 9] para construção de uma marca forte (veja os 9 passos aqui).

Você já sabe como reunir informações para analisar o cenário da marca, foi a fundo para descobrir o seu DNA empresarial, aprendeu como funciona o processo de geração de ideias, definiu os pilares sobre os quais sua marca será sustentada e encontrou a sua promessa de marca, a sua razão de existir. Agora vamos conversar um pouco sobre o próximo passo do processo de Branding.

O que é a marca gráfica?

 

A marca gráfica (também chamada de logo, logotipo, e até mesmo logomarca) tenta sintetizar graficamente um ou mais aspectos dentre os mais importantes incorporados à sua promessa de marca. É como se fosse a foto 3×4 da sua empresa, a imagem sintética que a identifica e diferencia das outras. Muitas vezes é o primeiro contato do cliente com o negócio. Essa representação não precisa necessariamente ser literal, podendo ser uma abstração ou um elemento completamente novo, mas que traduza o feeling que sua marca vem trazendo até então. O importante é conseguir, de alguma forma, evidenciar o espírito da marca.

A marca gráfica é geralmente composta por dois elementos principais: símbolo + lettering. Não existe nenhuma regra que estabeleça esta como a composição ideal, podendo ser apenas um ou o outro, ou ainda haver a adição de uma assinatura de marca. A decisão frente aos elementos de composição deve fazer sentido com o todo do projeto. Por exemplo, uma marca gráfica que faça uso apenas do lettering, com uma tipografia serifada e clássica mais a cor preta, já transmite de cara ares de sofisticação, sendo adequada para, digamos, uma boutique de roupas. Já o uso de um símbolo memorável e de fácil aplicação  junto a tipografia é muito útil para um aplicativo ou plataforma web que o vá utilizar frequentemente como ícone em smartphones e tablets.

 

simbololettering2

assinatura3

 

 

 

A marca gráfica é o ponto de partida para se criar uma associação visual com todo o seu discurso, uma forma rápida de as pessoas lembrarem daquilo que você promete e acredita. É ela que dá vazão a todo seu sistema de Identidade Visual e conduz a criação da parte gráfica de seu Universo de Marca (que será detalhado no próximo post), e é por isso que ela é tão importante.

Mas como fazer um bom design de marca?

 

 

 

Design de Marca

 

Partindo de conclusões atingidas pelas análises das etapas anteriores, você já deve ter definido a linguagem ou ideia que queira transmitir. O próximo passo é iniciar uma busca de referências que, de alguma forma, relacionem-se com os elementos definidos até aqui.

Por exemplo, se nos resultados anteriores você percebeu que uma brecha de mercado interessante é voltar o discurso da marca à ideia de pioneirismo e tradição, busque elementos que tragam essa característica. Não apenas dentro de outras marcas gráficas ou identidades visuais, mas também em filmes, pinturas, movimentos artísticos, poesia, publicidade, etc. Construir uma marca gráfica e uma identidade é basicamente sintetizar ideias, portanto, qualquer fonte de boas ideias que sejam compatíveis com seu discurso é válida.

Com um painel visual de boas referências montado e analisado, pode-se começar a geração de alternativas. Defina uma quantidade de tempo para esta etapa e não pare de desenhar até completar este tempo. Normalmente as primeiras alternativas são muito óbvias e costumam apresentar problemas recorrentes (empresas com símbolos muito parecidos, dificuldade de desdobramento em uma identidade consistente, etc). Cumprir o tempo definido (sugestão: entre 20 e 40 horas) é ideal para que sejam colocadas no papel as ideias ruins que pareciam boas ou mesmo aquelas que desde o início você visualizou que não funcionariam. Isso estimula a criatividade abrindo espaço para que novas ideias apareçam.

A escolha final deve levar em consideração os seguintes aspectos:

1. Pregnância: na teoria da forma, relaciona-se com a estabilidade de uma percepção. Quanto mais pregnante for sua marca gráfica, mais facilidade as pessoas terão em compreender, ler, identificar e, consequentemente, memorizar a sua composição visual. Lembra do símbolo da Nike? E da Apple? São formas muito simples, não são?

 

nike

 

 

 

 

2. Elementos do conceito: os valores e conceitos definidos nas etapas anteriores devem estar coerentes com os elementos gráficos desenhados. Se a Apple promete desafiar o status-quo, conforme falamos na etapa do Propósito de Marca, faz sentido que o símbolo seja uma maçã mordida (alusão ao Pecado Original, ao ato de desafiar regras impostas. Poderia até mesmo fazer referência a “maçã de Newton”, que supostamente o fez desenvolver a Teoria da Gravitação Universal e revolucionar a Física).

 

apple

 

 

 

 

3. Sistema de identidade: o visual de sua marca não acaba na marca gráfica. Pelo contrário, ela deve ser o ponto de partida para que todo um sistema de identidade visual floresça. Ao desenvolver a marca gráfica, é vital que as possibilidades de desdobrá-la numa identidade sejam pensadas simultaneamente. Portanto, a marca gráfica deve conter elementos que possam ser utilizados graficamente em seus pontos de contato, sejam eles cores, formas, conceitos, etc.

 

Design de marca da Castro Mello

 

 

 

 

4. Linguagem gráfica do nicho de atuação: essa é uma questão que deve ser ponderada com cuidado. É interessante propor uma linguagem visual completamente nova e inovadora no mercado e quebrar paradigmas? Ou, quem sabe, permanecer no padrão visual da categoria seria uma boa ideia para maior aceitação dos clientes? Ambas podem ser boas estratégias de marca. O NuBank é um exemplo de linguagem visual inovadora em seu mercado.

 

 

nubank2

 

 

 

5. Originalidade: sua marca gráfica deve se destacar, mas não pelos motivos errados. É importante que ela não seja muito parecida com outras marcas, ou que contenha um elemento chave muito reconhecido em outros lugares. Se você está criando uma marca de tênis e roupas para esportes, três linhas paralelas não são uma boa opção (Adidas). O mesmo vale para desenhos repetidos à exaustão, como a abstração de formas pontiagudas para formar pessoas em marcas relacionadas à saúde, ou o planeta circundado por um “swoosh” em marcas de tecnologia. Seja original.

 

 

cliches

 

 

 

 

6. Beleza: por fim, a composição geral deve ser agradável esteticamente. Deve seguir proporções, regras definidas durante o projeto, e manter sua unicidade. É claro que existem tendências que vêm e vão (e não há problema em explorá-las, se de forma comedida), mas sua marca gráfica deve tentar ser atemporal, manter uma essência ao longo do tempo, e continuar sendo relevante e coerente com suas promessas.

 

 

haut

 

 

 

É claro que dependendo do contexto da sua marca, cada um dos pontos pode ter um peso maior ou menor, cabendo a você avaliá-los.

Quando você tiver em mãos uma alternativa que julga adequada, é legal testar a receptividade das pessoas à ela. Faça grupos focais, peça feedback, teste com pessoas que sabem e que não sabem nada sobre sua empresa, enfim, coloque à prova suas próprias interpretações a respeito do resultado.

 

 

Por Fim…

 

Dizem que a primeira impressão é a que fica, portanto é importante que a marca gráfica cumpra seu papel ao encontrar seu público-alvo, já que este pode ser o primeiro contato dele com o seu universo. Um bom design de marca é um ativo muito valioso dentro de uma empresa, pois se tornará o símbolo inscrito na sua bandeira. É através dela que seus clientes vão compartilhar de suas crenças e ajudar a carregar suas promessas! 🙂

 

 

Dicas Extras

 

Softwares: os softwares mais indicados para trabalhar com a marca gráfica são o Ilustrator e o Corel, que são programas de criação de imagens em vetor, ou seja, as imagens podem ser expandidas e contraídas sem perder resolução.

Sites de referência: seguem alguns sites interessantes para inspiração durante o processo de geração de alternativas. É importante sempre tomar cuidado para não usar a referência de maneira errada, plagiando outras marcas.

https://www.behance.net

https://br.pinterest.com/

https://logopond.com/

https://dribbble.com/

http://underconsideration.com/brandnew/

 

 

Resumo

 

O QUE É MARCA GRÁFICA?

Também chamada de logo ou logotipo, é como se fosse a foto 3×4 da sua empresa, a imagem sintética que a identifica e diferencia das outras. Muitas vezes é o primeiro contato do cliente com o negócio.

COMO CONSTRUÍ-LA?
A ordem metodológica mais comumente utilizada é:

1. Definições conceituais

2. Busca de referências gráficas e discursivas

3. Geração de alternativas

4. Definição das melhores alternativas

5. Refinamento

6. Escolha da alternativa final

O QUE DEVE SER CONSIDERADO?
Alguns pontos devem ser levados em consideração ao desenvolver o design da sua marca gráfica, sendo que dependendo do contexto no qual o projeto está inserido, alguns pontos merecem mais atenção e outros menos. Eles são:

1. Pregnância

2. Elementos do conceito

3. Sistema de identidade

4. Linguagem gráfica do nicho de atuação

5. Originalidade

6. Beleza

[Quiz]

Como está o Branding da sua Empresa?

Faça o Teste Grátis!

[Ebook]

O que é Branding e porque grandes marcas usam.

Baixe aqui o Ebook Grátis!