[Passo 3 de 9] Geração de Ideias


28/08/2014

Após reunir dados e conclusões referentes ao cenário onde sua marca será inserida e conhecer melhor o que sua empresa realmente é através do DNA Empresarial, chegou a hora de cruzar essas informações objetivas com um processo que pende...

[Quiz]

Como está o Branding da sua Empresa?

Faça o Teste Grátis!

[Ebook]

O que é Branding e porque grandes marcas usam.

Baixe aqui o Ebook Grátis!


Após reunir dados e conclusões referentes ao cenário onde sua marca será inserida e conhecer melhor o que sua empresa realmente é através do DNA Empresarial, chegou a hora de cruzar essas informações objetivas com um processo que pende para o lado intuitivo e que exigirá criatividade: a Geração de Ideias.

 

Este é o passo 3 de 9 para construção de uma marca forte (veja os 9 passos aqui).

 

De nada adianta ter em mãos uma quantidade grande de dados, referências e anotações sobre sua empresa e seus concorrentes se você não souber como aproveitar tais informações para construir um diferencial de marca. E é através da conceituação junto a avaliação de diferentes possibilidades que se faz o posicionamento para inserir sua marca no mercado.

É importante deixar claro que diferenciar-se como empresa dentro do mercado não significa necessariamente vender algum produto ou serviço que ninguém mais vende. Você pode se posicionar simplesmente ao ressaltar aquelas qualidades descobertas durante as dinâmicas de DNA Empresarial, aquelas que você sente que só sua empresa possui.

Também é possível que você realmente tenha encontrado uma brecha de mercado inexplorada ou mesmo que possa nadar totalmente contra a maré.

O importante aqui é ser coerente. Não fuja da essência de sua empresa. A coerência discursiva é aquilo que faz com que seus clientes te identifiquem como marca; é aquilo que traz confiança às pessoas. De nada adianta você querer se diferenciar de uma forma em que não seja capaz de cumprir as promessas feitas.

Pois bem, como traduzir suas ideias para uma forma conceitual que faça sentido e que também esteja coerente com as possibilidades do mercado e com seu DNA?

Muitas ferramentas e metodologias podem ser utilizadas, tais como mapas mentais, fluxogramas, grupos focais, o famoso brainstorm, etc, porém, uma das nossas preferidas é a construção de mood boards. Monte mapas gráficos com imagens baseadas naquilo que seus clientes gostam e consomem. Naquilo que traduz o espírito do seu público e de sua empresa.

Uma forma eficiente de fazer isso é através de ferramentas que organizam as informações de forma visual, tal como a Matriz SWOT (strenghts, weaknesses, opportunities e threats, ou, em português, forças, fraquezas, oportunidades e ameaças) ou o Business Model Canvas.

Não esqueça de incluir também tudo aquilo que for importante das etapas anteriores, pois o fator comparativo é essencial. Faça associações, discuta com outras pessoas, levante questões a respeito, seja criativo.

 

 

Painel para geração de ideias

 

A parte legal desse momento é que você pode gerar diversas ideias diferentes. Na verdade, é de suma importância que você o faça, pois com várias soluções lado a lado é mais fácil construir relações, fazer comparações e decidir qual é a mais adequada. Abra bastante seu horizonte de possibilidades antes de fechá-lo.

Não se sinta intimidado ao usar e abusar de seu feeling nessa etapa. Quase sempre, num processo de construção de marca, a intuição é que fornece o grande insight. Pense, por exemplo, na Harley Davidson. O que eles vendem? A resposta óbvia – e mais objetiva – é simples: motos. Porém, veja o que um antigo Vice Presidente da empresa tem a dizer sobre isso:

“O que nós vendemos é a habilidade para que um contador de 43 anos de idade possa se vestir com couro preto, viajar por pequenas cidades e ter pessoas com medo dele.”

 

 

foto2

 

Ou, pensando em algo mais recente, o aplicativo de anotações e organização pessoal Evernote, que utiliza a imagem de um elefante em seu símbolo, animal famoso por ter boa memória.

É perceptível que ambos os casos se tratam de abstrações criativas; de serviços ou produtos traduzidos em associações conceituais que refletem o espírito da marca, muito mais do que apenas dizer o que a empresa faz objetivamente. E é exatamente esse tipo de ideia que deve ser gerada.

 

foto3

 

 

Quando você possuir um bom conceito que, junto com o produto ou serviço oferecido, te ajude a se posicionar no mercado, você poderá definir os seus pilares de sustentação, ou, como chamamos, Plataforma de Marca. Serão os valores mais importantes da sua empresa; a chave para alinhar todas as ações posteriores. Para saber mais não perca os próximos posts. 🙂

 

 

[Quiz]

Como está o Branding da sua Empresa?

Faça o Teste Grátis!

[Ebook]

O que é Branding e porque grandes marcas usam.

Baixe aqui o Ebook Grátis!